Home ⁄ Archive by Category "Novidades"

Vantagens de ter uma Casa de ferramentas no condomínio

Quantas vezes você precisou ligar para um carpinteiro para fazer um reparo simples no seu apartamento só porque você não tinha disponíveis as ferramentas necessárias?

Se você ficou pensando nisso agora, trazemos hoje para você uma solução para esse problema.

A casa de ferramentas em condomínio é um local que tem disponível inúmeras ferramentas que podem ser usadas pelos condôminos, sem custos a mais por isso.

Vamos as vantagens:

  • Sem acúmulo de ferramentas pelo condomínio

Com uma casa de ferramentas no condomínio você poderá emprestar o que precisar e logo em seguida devolver ao local. Isso evitará que você encha seu apartamento com ferramentas.

  • Ferramentas essenciais disponíveis

Você terá disponível, ferramentas para qualquer tipo de reparo no seu apartamento e que podem suprir as necessidades domésticas, mesmo para os menos experientes.

  • Economia

Você não terá custos nenhum em ter que comprar ferramentas novas pra fazer reparos que você mesmo pode fazer. Com uma casa de ferramentas, emprestou, usou e guardou novamente no lugar.

  • Imprevistos acontecem, mas com as ferramentas certas tudo se resolve

Diariamente podem surgir pequenas manutenções dentro do seu apartamento e a principal vantagem de uma casa de ferramentas é a economia na hora de utilizá-las sem que haja necessidade de chamar um profissional para resolver o seu problema, principalmente quando a grana estiver curta.

Viu só como ter uma casa de ferramentas no seu condomínio, pode ser uma saída para você economizar bastante no seu dia a dia?

E o melhor, é que aqui em Santarém, a CEO Empreendimentos está construindo o Riviera Special Home, um Home Club completo que contará com uma casa de ferramentas.

Saiba melhor como será esse esáço, visitando o nosso decorado, localizado na Avenida São Sebastião, 2845 – Laguinho.

Temos mais alguns materiais que podem lhe interessar:

Bicicletário: De luxo a necessidade.

O que é Garage Band: Por que ter uma.

 

Bicicletário: De luxo a necessidade

 

Sem dúvidas, a bicicleta é uma febre atual. E se, antes da pandemia já era uma tendência mundial, agora a onda de pessoas com novos hábitos pós-pandemia como andar de bicicleta já é realidade.

No Brasil, a utilização de bicicletas tem aumentado. Seja como meio de transporte para passeio, para ir ao trabalho ou até mesmo para as atividades físicas. Inclusive, muitas cidades desenvolvidas ao redor do mundo baseiam suas políticas de mobilidade urbana na expansão desse meio de transporte.

Por que a bike virou uma febre

Alguns fatores como engarrafamentos, poluição, alto preço dos combustíveis e prática de atividade física, fizeram com que as bicicletas ocupassem cada vez mais as ruas.

Em muitos casos, ela pode ser o meio de locomoção mais rápido para se chegar ao destino e proporciona mais liberdade para escolher qual caminho percorrer.

Com toda essa expansão, muitos condomínios têm se preocupado em oferecer um espaço adequado para guardar esse transporte.

Esse espaço ideal é chamado de bicicletário que deixou de ser um luxo em condomínios para se tornar uma necessidade.

Lei bicicletário em condomínio

Na cidade de São Paulo, bicicletário em condomínio é lei desde 2013. Entre as determinações estão:

-Usuários precisam ter acesso garantido ao bicicletário;

-Bicicletários devem ser em ambiente de fácil acesso, próximo da rua e da calçada;

-Precisa haver a distância mínima de 0,75 metro entre os suportes para prender as bicicletas;

-Equipamentos devem ter no mínimo 1,80 metro de extensão, com altura mínima de 2 metros.

Até o momento, são poucas as cidades no Brasil que seguem o exemplo de São Paulo quando o assunto é bicicletários para condomínios.

Apesar de não ser obrigatório na maioria das regiões, a instalação do equipamento pode ajudar o condomínio de diversas formas. Seja incentivando os moradores a mudar para um meio de transporte sustentável ou então contribuindo para maior valorização do imóvel.

Vantagens de ter um bicicletário no condomínio

– Organização

Em geral, o bicicletário é instalado próximo à entrada do estacionamento, evitando que as bicicletas sujas sejam levadas para dentro do prédio e causem transtorno entre os moradores.

-Evita danos

Os bicicletários em condomínios contribuem para manter os demais veículos longe de arranhões. E sua ausência faz com que o proprietário deixe sua bicicleta na garagem junto com os carros, em locais inapropriados.

Além disso, quando as bicicletas ficam mal posicionadas na garagem, podem ser danificadas no aro e no quadro. Por isso, é importante ter um local exclusivo para esses equipamentos.

Regras de uso do equipamento

Para o bom funcionamento dos bicicletários em condomínio, é preciso criar um regulamento em que as regras e as responsabilidades do uso do equipamento pelos moradores são definidas.

Diante disso, a administração e os condôminos podem se unir para alterar o regimento e incluir essas regras de uso. Assim, terá um documento que abordará tudo que precisa ser definido a respeito dos bicicletários em condomínios.

O documento pode definir as seguintes questões:

  • Como funciona o esquema de segurança em um bicicletário? Ele será monitorado 24 horas por câmeras e será fechado com cadeado? Neste caso, o morador deverá pegar uma chave na portaria e deixar sua assinatura em um livro de controle (horário de retirada e devolução da bicicleta);
  • Cada bicicleta deverá ser identificada com número de apartamento e bloco?
  • Cada bicicleta deve ser lacrada com cadeado para evitar transtornos posteriores e a utilização indevida?
  • A entrada do morador com bicicleta se dará pela portaria principal ou pela garagem?
  • O bicicletário é uma área exclusiva dos moradores ou também pode ser utilizada por visitantes?
  • Como será feita a definição de lugares? Ela será determinada conforme a ordem das unidades ou de acordo com a frequência de uso das bicicletas (quem usa mais a bicicleta estaciona em uma vaga melhor)?

A criação de regras, é a forma de manter um controle maior sobre os bicicletários em condomínios. Assim, é possível evitar diversos problemas, como permitir o uso de bicicletário para armazenar outros objetos.

Em Santarém, o Riviera Special Home que é o novo empreendimento da CEO, incluiu no seu projeto um bicicletário, um espaço que será essencial para quem escolheu ter uma vida mais saudável ao pedalar de bike.

Legal né?

Conheça o nosso projeto, visitando o nosso stand na Av. São Sebastião, nº 2845, Bairro Aldeia, iremos amar te receber.

Temos mais materiais que podem lhe interessar:

Conheça os benefícios de ter uma horta comunitária
Coworking: qualidade de vida no home office
Lavanderia em condomínio: praticidade para seu dia a dia

 

Conheça os benefícios de ter uma horta comunitária

 

Você sabe o que é uma horta comunitária, para que serve, e a sua importância? É uma horta de uso coletivo, que possibilita o desenvolvimento sustentável a partir dos cultivos.

No Riviera Special Home foi acrescentado mais alguns espaços no condomínio. Um deles é a horta comunitária: espaço que será aproveitado pelos condôminos para a plantação de alimentos para o seu consumo.

A popularidade das hortas comunitárias vem crescendo, isso porque tem uma série de benefícios.

 

Envolve todos os condôminos no trabalho coletivo

Esse espaço de convívio será essencial para aproximar ainda mais os condôminos. Pois,  eles poderão se ajudar na plantação dos alimentos.

Auxilia na educação ambiental de crianças e adultos 

Desde pequeno é importante ensinar as crianças sobre o cuidado com a natureza e o que ela pode nos proporcionar.

É uma forma de lazer

É divertido ter o contato com a natureza e ter essa oportunidade sem sair do condomínio é um lazer. Vale ressaltar também que, aprender a cultivar plantas, incentiva outros conhecimentos e acrescenta experiências.

Alimentos fresquinhos na mesa

Ter alimentos fresquinhos e livres de agrotóxicos em casa é de extrema importância para a saúde do corpo e mente.  Afinal, ajuda na redução do estresse e estimula a praticar a paciência.

 

Muitos benefícios né? Quer saber mais? Venha conhecer o nosso decorado e saiba mais sobre esse novo espaço no Riviera Special Home.

O que você achou desse conteúdo? Diga pra gente nos comentários.

Leia também outros conteúdos que podem lhe ajudar:

Lavanderia em condomínio: Praticidade para seu dia a dia 

Coworking: Qualidade de vida no home office

Como fazer uma horta em seu apartamento

 

 

Lavanderia em condomínio: Praticidade para seu dia a dia

Quem não quer praticidade para o dia a dia não é mesmo?

A rotina de muitos é corrida, que falta até tempo para lavar as roupas. Vemos no mercado cada vez mais as lavanderias, que são um verdadeiro achado pra muita gente, pois são práticas, rápidas e tem uma qualidade excelente pra quem tem o tempo reduzido por conta do trabalho.

Mas você sabia que os condomínios que possuem lavanderia compartilhada estão cada vez mais comuns nas grandes cidades brasileiras especialmente nos empreendimentos que trazem para o morador uma opção inteligente de uso dos espaços?

 

  • Como funciona a lavanderia num condomínio

As lavanderias compartilhadas em condomínios são espaços que possuem lavadoras e secadoras de roupas que podem ser utilizadas por todos os moradores do condomínio.

Geralmente, o morador paga uma pequena quantia que libera o uso das máquinas, mas em alguns casos pode não haver este custo, que é apenas diluído no condomínio.

Além disso, muita das vezes os produtos para a lavagem da roupa são geralmente comprados pelos próprios moradores, mas também podem ser compartilhados.

 

  • Vantagens de ter uma lavanderia no condomínio

Confira algumas das vantagens dos condôminos que compartilham a lavanderia do condomínio:

1 – Economia de água

Como o espaço será compartilhado, será possível economizar a água evitando o desperdício desse recurso natural que precisamos preservar.

O gasto mensal com lavagem de roupa doméstica em um condomínio de 150 unidades pode chegar até 1.440 litros de água para cada apartamento, totalizando 216 mil litros para todo o condomínio.

Nessas mesmas condições, com um sistema de lavanderias coletivas, esse consumo cai em cerca de 60% por apartamento, o que significa que, considerando uma adesão de 100% dos moradores, o condomínio inteiro  reduz o consumo mensal de 216 mil litros para 90 mil litros.

E mesmo com a adesão de apenas metade dos moradores, o gasto com água pode diminuir significativamente, gerando menos custos para o orçamento do condomínio e garantindo praticidade para o dia a dia dos moradores que optarem pelo sistema.

 

2 – Interação entre os condôminos 

A presença de uma lavanderia no condomínio acaba criando mais um espaço de convivência para os condôminos, permitindo que as pessoas tenham mais tempo para interagir com seus vizinhos e conhecê-los enquanto aguardam o processo de lavagem e secagem.

 

3 – Você não precisa comprar uma máquina de lavar

Ao morar em um condomínio que possui lavanderia, você não precisa comprar máquina de lavar. Olha só, mais uma economia em eletrodoméstico pra você.

 

4 – Você não precisa ocupar metragem do seu apartamento

Quem já comprou um apartamento sabe que o valor do imóvel considera o preço do metro quadrado da região na qual ele é construído.

Assim, se a lavanderia está dentro do seu imóvel, você está pagando também pelo espaço ocupado por esta área de serviço.

Ao comprar um apartamento em condomínio com lavanderia, este custo é diluído entre todos os compradores. Mais uma economia para você.

 

5 – Você não precisa de uma secadora

Além da máquina de lavar, é necessário comprar geralmente uma secadora. Nas lavanderias compartilhadas, este equipamento é presente e pode ser utilizado por todos os moradores. É um custo a menos para você equipar seu apartamento.

E você sabia que essa realidade está em Santarém também?

No Riviera Special Home, os condôminos contarão com uma lavanderia, que com toda a certeza será muito utilizada.

É a CEO Empreendimentos inovando mais uma vez, e trazendo o que tem de melhor no mercado de imóveis para os santarenos.

Venha conhecer nosso projeto e se encantar por cada espaço do Riviera!

Leia outro conteúdo que possa lhe ajudar:

Casa ou Apartamento: Qual é o Melhor Para Mim?

O Que Vistoriar num Imóvel

Tem alguma dúvida? Clique aqui e envie suas perguntas!

Com que idade eu devo pensar na minha moradia ?

Atualmente existem pessoas com perfis diferentes, mas com um mesmo propósito: ter uma moradia pra chamar de seu.

Existem 3 grupos comuns:

Os Independentes

São os jovens que começam a trabalhar, ganhar seu dinheiro e se tornar independente financeiramente e que já começam a planejar sua saída da casa dos pais, seja para comprar ou alugar um imóvel para chamar de seu.

Os do grupo “Quem casa quer casa”

coronavírus - isolamento social

São os comprometidos, que já estão querendo juntar suas escovas de dentes e uma maioria já ta sendo cobrada pelos familiares pra adquirir logo um imóvel pra morarem depois do casório.

Depois dos 30 a cobrança é ainda maior

Esses sofrem hein?

É o grupo de pessoas com mais de 30, que ainda moram com os pais e com certeza já devem ter ouvido “mora com os pais, porque tem quem sustente”.

O dilema é que, seja qual for o motivo e em que grupo estão inseridos, as pessoas querem ter sua independência e liberdade de ter uma moradia própria ou alugada pra chamar de sua.

Daí surge a questão: será que já está na hora de comprar um imóvel próprio ou é melhor esperar um pouco mais?

Ou melhor ainda: será mesmo fundamental comprar um imóvel até os 30? Não ter atingido essa conquista nessa idade deve ser motivo de frustração? Vale a pena alguém que ainda tem muito a se desenvolver na carreira se comprometer com um financiamento de longo prazo?

Respondendo logo de cara a uma das perguntas que mais afligem os jovens, não, chegar aos 30 anos sem ter um imóvel próprio não é motivo para frustração.

Agora, isso também não é motivo para relaxar. É preciso pensar em comprar um imóvel em algum momento da vida não tão distante e se preparar para isso desde cedo é uma ótima ideia.

Então vamos ao ponto.

Antes dos 30 você não precisa comprar um imóvel, mas deve se preparar para isso

Não é obrigatoriedade você ter um imóvel no seu nome aos 30 anos. O que é obrigatório é comprar um imóvel em alguma fase da vida, pois sempre precisaremos de uma moradia, mas nem sempre teremos disponíveis recursos para pagar o aluguel de um bom imóvel.

Ter onde morar traz segurança e independência para a família. O que você pode fazer é se preparar desde o início da carreira, para fazer essa compra um dia.

Quanto mais cedo você começar a planejar essa conquista, mais fácil ela se tornará, mesmo que o salário seja baixo. Mesmo que não seja possível ter um imóvel quitado aos 30 anos, isso não deve ser motivo de frustração.

Porém, nessa idade você já pode ter acumulado um volume financeiro alto o suficiente para dar uma boa entrada em um financiamento.

A palavra de ordem aí é: planejamento.

Mas também, se esperar muito, pode ficar tarde demais

Dicas de como criar pets em apartamento

Esperar demais para comprar um imóvel também pode ser uma armadilha. Os financiamentos costumam durar de 20 a 35 anos geralmente, então quem começa a pagar a casa própria tarde pode só ter um imóvel quitado depois dos 55 ou até 60 anos.

A realidade é que entre os 25 e os 30 anos o jovem ainda tem tempo para financiar, tem mais facilidade para arrumar emprego e não tem os custos elevados de ter um filho.

Para uma ajuda extra, o jovem no caso, pode adquirir um imóvel mais modesto, que em média pode subir aproximadamente o mesmo que os outros, e depois usar esse imóvel como entrada para outro melhor.

Então, como vou saber que é o melhor momento?

Riviera Special Home

Apesar de os jovens de hoje já estarem inclinados cada vez mais a já conquistar o sonho da casa própria, é preciso estar atento.

Alguns fatores precisam ser considerados como:

  • A quantia disponível para dar entrada no imóvel;
  • Se o nível de renda é o suficiente para pagar as parcelas do financiamento;
  • Se são casados ou solteiros;
  • Se estão estabilizados e bem colocados no mercado profissional.

É melhor esperar do que se precipitar

Por mais que a vontade de conquistar esse sonho seja grande, segure um pouco a empolgação e seja cauteloso.

Pesquise bastante antes de decidir e analise todas as alternativas que aparecerem, até encontrar aquela se se encaixe em suas necessidades.

Muitas vezes é melhor continuar no aluguel ou na casa dos pais, ainda que temporariamente, até que exista a oportunidade real de comprar o imóvel de uma forma mais tranquila e sem dor de cabeça.

Além disso, o gasto em se assumir um imóvel próprio poderá consumir até metade da renda familiar, engessando financeiramente quem é mais novo.

O ideal é apenar fazer esse tipo de negócio quando se está estabilizado profissionalmente e é possível planejar com clareza o futuro.

Considere fazer um consórcio

O consórcio imobiliário pode ser uma boa opção para quem está começando a vida profissional agora e já pensa no primeiro imóvel.

Ele funciona como um meio termo entre os financiamentos e o pagamento a vista, já que a compra é feita de forma parcelada, porém sem a cobrança de juros (apenas taxa de administração).

Como o comprador não desfrutará do imóvel imediatamente (pois precisa ser sorteado), essa modalidade é indicada para quem quer comprar a casa própria, mas não tem pressa nisso e pode esperar por um tempo.

Além disso, o consórcio poderá funcionar como uma espécie de disciplinador financeiro para quem não consegue guardar dinheiro e poupar por conta própria. Ao adquirir o consórcio, o comprador é obrigado a depositar a quantia todo mês, o que o força a se planejar para isso.

Então, se você está pensando em comprar seu primeiro imóvel, reflita bem e avalie todas as situações. Saiba que não existe uma hora certa para tomar essa decisão, e que isso dependerá dos objetivos e da condição pessoal de cada um.

O importante, é se sentir confortável e estar financeiramente preparado, e entender que cada pessoa fica pronta para dar esse passo tão importante em um momento diferente da vida.

É necessário analisar bem o momento e pesar sempre os prós e contras que isso trará.

E então? Em que momento da vida você está? Siga nossas orientações e boa escolha.

Leia outros conteúdos que podem lhe ajudar:

Conheça a História do Bairro da Aldeia: O Berço de Santarém

Se você é aqui de Santarém no Pará, já deve ter ouvido falar da Praça do Centenário e Bairro da Aldeia. Mas você conhece a história? Sabe quais curiosidades estão por trás desse bairro tradicional da nossa cidade?

Neste post vamos te contar a origem do bairro Aldeia e quais pontos turísticos históricos fazem parte desse lugar.

Em 1848 a então vila de Santarém foi elevada à categoria de cidade, tendo como primeiro núcleo urbano, o bairro Aldeia, que é o mais antigo bairro da cidade. Ficava localizado onde hoje está o mercado modelo, na Praça Rodrigues dos Santos.

A cidade foi se estendendo paralelamente ao rio Tapajós, a partir da área central, em direção aos bairros da Prainha e da atual Aldeia. Estes bairros se subdividiram em zona leste com os bairros do Santíssimo e  Santana.

No entanto, a Aldeia, foi a que mais se expandiu e foram criados os bairros de Fátima, Aparecida, Rodagem, Laguinho, Liberdade, Salé e Caranazal.

Alguns Lugares Históricos Situados no Bairro da Aldeia

Colégio São Raimundo Nonato

Turma do Colégio São Raimundo em 1963

Entre os lugares históricos do bairro da Aldeia, não tem como deixar de mencionar o Colégio São Raimundo Nonato, conhecido pelo ensino de tradição na cidade.

Considerado atualmente, um dos melhores colégios para se estudar em Santarém, está localizado na rua Silvério Sirotheau Corrêa.

Rua 24 de Outubro

Antigamente conhecida como “Estrada dos Índios” ou “Rua da Alegria”, a Rua 24 de Outubro, no bairro da Aldeia é considerada a rua mais antiga da Cidade de Santarém.

Igreja Matriz de São Raimundo Nonato

Não tem como passar pelo bairro da Aldeia e não contemplar a histórica Igreja Matriz de São Raimundo Nonato, Padroeiro do Bairro.

A Igreja foi inaugurada em 1926 dominando a paisagem com seu estilo arquitetônico colonial simples.  O projeto de construção foi de frei Rogério Voges.

Praça do Centenário: Patrimônio Histórico de Santarém

A famosa Praça do Centenário, projetada pelo artista santareno Manoel Maria de Mâcedo Gentil está localizada entre as avenidas 24 de Outubro e Silvério Sirotheau Corrêa, no bairro da Aldeia, e foi inaugurada em 24 de outubro de 1948.

O “Largo do São Raimundo”, como era chamado antigamente, tem em seu centro um índio que foi trabalhado por João Fona e, ao lado, uma estrofe do poema de “Castro Alves”, que juntamente com dois canhões fazem a decoração da praça.

Esses canhões pertenciam à “Fortaleza do Tapajós” e nunca foram utilizados, pois jamais chegaram a seu destino, ficando durante quase um século no leito da rua Galdino Veloso.

A inauguração da praça foi feita em comemoração ao primeiro centenário da elevação de Santarém à categoria de cidade.

Veterano Esporte Clube

Localizado na TV Felisbelo Sussuarana, Aldeia, o Veterano Esporte Clube foi funado em 1959 e é um patrimônio cultural e recreativo que faz parte da história de Santarém.

Foi sede do tradicionalíssimo Veterano Esporte Clube, um dos clubes mais antigos de Santarém. Se tornou depois um local de festas com bailes nostálgicos e muito glamour.

E ai, você gostou do post? Qual dessas histórias você já tinha ouvido falar? Conta pra gente nos comentários.

Leia outros conteúdos que podem lhe ajudar:

Garanta acessibilidade aos seus clientes

Acessibilidade em Edifícios: O que você precisa saber

Muitas pessoas ao ouvirem a palavra “acessibilidade” logo imaginam um cadeirante ou alguém que tenha uma mobilidade reduzida, que se tratando de condomínio, precisa entrar e sair do seu apartamento.

O IBGE indica a proporção das pessoas com deficiência na população brasileira de 6,7%, em números absolutos em 12 milhões e 748 mil e, 17,2 percentual de pessoas com alguma limitação funcional, equivalente a 32 milhões e 857 mil. 

São cadeirantes, pessoas que precisam de outros equipamentos para se movimentar, como bengalas e andadores, idosos, mães com crianças de colo, pessoas que estão temporariamente com a mobilidade reduzida, por terem alguma fratura ou por conta de alguma cirurgia, entre muitos outros. 

 

Ou seja, criar a possibilidade de todos se movimentarem não é somente uma questão legal, mas de cidadania.

 

Nesse post você vai saber o que é acessibilidade, como é na prática e como deve ser a acessibilidade em condomínios.

O que é Acessibilidade?

A Lei Brasileira de Inclusão – LBI em seu art. 3º, inciso I, descreve o conceito de acessibilidade nos seguintes termos:

Art. 3º Para fins de aplicação desta Lei consideram-se:

I – acessibilidade: possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como de outros serviços e instalações abertos ao público, de uso público ou privados de uso coletivo, tanto na zona urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida; (BRASIL, 2015, grifo nosso).

 

A acessibilidade, portanto, é um conjunto de medidas voltadas a garantir que haja a possibilidade da pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida usufruir dos espaços e das relações sociais com segurança e autonomia.

Atualmente, a acessibilidade interfere na arquitetura e também no urbanismo, se colocando como parte importante e integrante destas duas áreas, e surgindo como um ponto importante que jamais deve ser deixado de lado em qualquer obra atual. 

Acessibilidade em condomínios

O síndico deve propiciar condições de acessibilidade não só para pessoas portadoras de deficiências, mas também aquelas que por uma situação ocasional ou permanente tenham dificuldades de acessar a sua própria unidade, como também as demais áreas comuns da edificação (garagem, salão de festas, piscina, quadra etc.)

Acessibilidade vai além de rampas de acesso. E mesmo para essas, que são mais conhecidas, é preciso ficar bem atento quanto à inclinação e material para que garantam a acessibilidade. Por isso, é importante conhecer a legislação detalhadamente e também contratar um profissional que a conheça.

Especialistas garantem, porém, que em prédios mais antigos, as mudanças devem ser realizadas dentro do possível, já que muitas vezes a estrutura do prédio pode não suportar o alargamento de corredores, por exemplo. 

Alguns dos principais locais que precisam de adaptações nos prédios:

Piso: precisa ser regular, firme e antiderrapante;

Rampa e escada: precisam ser sinalizadas, ter corrimão e piso tátil;

Portas de acesso: devem permitir o acesso de cadeira de rodas, andadores e carrinhos de bebê, para isso, é preciso que o vão livre tenha uma largura mínima de 80 cm;

Calçadas: não devem ter sua passagem obstruída por carros ou plantas (Calçadas são responsabilidade do condomínio);

Interfones: devem ter marcação em braile;

Escadas: sempre com corrimão;

Banheiros: os de uso comum devem ser adaptados;

Estacionamento: com a reserva de vagas indicadas por lei.

Dicas para uma boa convivência em época de coronavírus

Dicas Para uma Boa Convivência em Condomínio na Quarentena

O isolamento social está sendo uma nova realidade necessária para todos nós. A recomendação das autoridades de não poder sair, não abraçar e nem ter contato físico com outras pessoas, são atitudes difíceis. Para quem gosta de estar bem próximo do outro, isso pode trazer um certo desconforto emocional.

A convivência com os vizinhos do condomínio nesses tempos de quarentena pode se tornar um desafio. Antes muitas pessoas passavam pouco tempo dentro de seus apartamentos, e com suas rotinas corridas, muitos deles nem sabiam de fato como era conviver com outras pessoas no condomínio.

Agora, antes de tudo, é preciso ter empatia e pensar no coletivo, além de ter também o bom senso sobre as ações feitas, mesmo que dentro do seu apartamento.

Por isso, separamos alguns cuidados que você pode ter para manter uma boa convivência com os seus vizinhos do condomínio durante esse período.

Cuidado com o Som Alto

Dicas para uma boa convivência em época de coronavírus

Em casa, todo mundo deseja fazer tudo o que quer não é mesmo? Levando em conta que o isolamento social traz o desconforto de não pode sair de casa, é preciso se distrair de alguma forma.

Muita gente escolhe ouvir uma música para relaxar e tentar esquecer um pouco tudo o que está acontecendo, mas acabam exagerando. É preciso respeitar o espaço do outro e perceber que você não está sozinho. Mas que assim como você, seus vizinhos também estão em casa, para se prevenirem contra o Coronavírus. A dica é: mantenha o som em uma altura que não invada a privacidade de seus vizinhos.

Ajude os seus vizinhos do Grupo de Risco

Dicas para uma boa convivência em época de coronavírus

Pessoas com mais de 60 anos são mais suscetíveis aos sintomas do vírus. Então, é importante que elas se mantenham isoladas em casa. Temos presenciado através das redes sociais várias atitudes de solidariedade de pessoas que não são do grupo de risco e que se dispõem a fazer compras para  quem é do grupo de risco. Uma atitude nobre e simples.

Então, se você não faz parte do grupo de risco e pode fazer uma boa ação, ajude seus vizinhos mais velhos. Ofereça-se para realizar as compras, por exemplo. Essa é uma atitude que expressa gentileza e que faz toda a diferença em um momento como esse.

Mantenha os Cuidados Redobrados nas Áreas Comuns

Dicas para uma boa convivência em época de coronavírus

Mesmo em quarentena ainda existe o fluxo de pessoas dentro do condomínio. Afinal, todos nós temos necessidades básicas e vez ou outra será necessário ir ao mercado, farmácia ou em outro lugar essencial. Mesmo sendo possível realizar pedidos via aplicativo, ainda assim é necessário se deslocar até a portaria para retirá-los.

Então, como um meio de fazer a diferença para você e os outros moradores, utilize a escada para evitar aglomeração por exemplo. É uma alternativa para continuar tomando os cuidados necessários. E lembre-se de evitar tocar no corrimão, assim como higienizar as suas mãos ao chegar ao seu apartamento.

Entenda que esse é um momento em que cada um precisa fazer sua parte e manter as orientações de prevenção contra o Coronavírus.

Se Divirta com as Crianças em Casa: Sem Fazer Barulho

Dicas para uma boa convivência em época de coronavírus

As crianças não têm compreensão do que está acontecendo mundo a fora e porque precisam ficar em casa, elas podem até achar que estão de férias da escola. É muito normal, elas fazerem bagunça, falarem alto e correrem pela casa.

Nesse período, é importante os pais criarem rotinas diferenciadas, com atividades que prendam a atenção da criança como: jogos de tabuleiro, pinturas, jogos eletrônicos e leitura. Existem muitas opções para manter uma rotina tranquila e estimular o aprendizado das crianças, basta usar um pouco de criatividade e a rotina dos pequenos dentro de casa pode ser muito proveitosa, sem incomodar os demais moradores.

Esses são alguns cuidados que cada um pode fazer sua parte, para manter a boa convivência com os vizinhos, e exercer a empatia que é tão importante nesses dias atuais.

Se quiser, pode compartilhar com a gente nos comentários quais cuidados você tem tomado no seu apartamento para manter a empatia com os demais moradores do condomínio.

orla maracanã

Urbanização Orla Maracanã

Conheça o Projeto de Urbanização da Orla do Maracanã

A praia do Maracanã tem ganhado uma nova vista, com as obras de urbanização do espaço. Com um projeto de infraestrutura física e paisagística, a Orla do Maracanã terá comodidade com melhorias no acesso à praia e às barracas existentes, aumentando a segurança dos visitantes e moradores. A obra proporcionará apreciação plena das belezas da praia urbana de Santarém.

O projeto é uma antiga reivindicação dos santarenos, principalmente os que moram e frequentam o local. É uma área com grande potencial turístico.

orla maracanã
orla maracanã

O orçamento da obra é de R$ 3.800.926,63, oriundos de emenda parlamentar do deputado federal José Priante, sendo R$280.508,39 de contrapartida do Governo Municipal. Os recursos são destinados para a construção de 540m de passarela (com 3 escadas e 1 rampa de acesso à praia) e 60m de píer avançado para contemplação (1 escada e 1 rampa de acesso à praia).

O projeto contempla 5m metros de largura em concreto armado com 2.801,41m² de piso em ladrilho hidráulico, 1.247,21m² de guarda corpo em tubo metálico, Iluminação pública e 4.533,04m² de estacionamento e acessos com pavimentação em blockret, calçadas em piso cimentado contendo Iluminação pública.

Com a construção de uma passarela, com toda a estrutura adequada tanto para os frequentadores, quanto para os donos de barracas, haverá maior comodidade, conforto, segurança e beleza ao lugar. Será um novo cartão postal de Santarém.

Confira fotos da obra em execução e assista ao vídeo do projeto que mostra como ficará a nova orla.

orla maracanã
orla maracanã
orla maracanã

Painel de Economia de Santarém

Painel da Economia Santarena com informações do desempenho dos:

Segmentos, Imobiliário, Comércio, Serviços, Logística.

Balança Comercial.

Agronegócio.

Agricultura Familiar.

Movimentação Turística.

Evolução de empregos 2013 - 2019

OS 10 MUNICÍPIOS PARAENSES COM MAIORES SALDOS (ADMISSÕES X DESLIGAMENTOS) EM 2019

OS 20 MUNICÍPIOS DA REGIÃO NORTE COM MAIORES SALDOS (ADMISSÕES X DESLIGAMENTOS)

Painel de Investidores

Apresentação nas Reuniões do GGI – Setor Privado

OBRAS EM EXECUÇÃO ENTRE OS ANOS 2018/2019 SETOR IMOBILIÁRIO/CONST. CIVIL

PREVISÃO DE 550 EMPREGOS DIRETOS E INDIRETOS

INVESTIMENTOS EM 2019 SETOR DE COMÉRCIO/SERVIÇOS

PREVISÃO DE 337 EMPREGOS DIRETOS E INDIRETOS

OBRAS EM EXECUÇÃO ENTRE OS ANOS 2017/2018/2019 SETOR DE LOGÍSTICA

PREVISÃO DE 120 EMPREGOS DIRETOS E INDIRETOS

PERSPECTIVA DE INVESTIMENTOS SETOR DE PORTOS E GRÃOS

PREVISÃO DE 1.218 EMPREGOS DIRETOS E INDIRETOS

PROJETOS EM OPERAÇÃO SETOR DE COMBUSTÍVEIS

PREVISÃO DE 1.314 EMPREGOS DIRETOS E INDIRETOS

BALANÇA COMERCIAL

Exportações, importações e balança comercial - Santarém, PA

SETOR DE PORTOS

Movimentação de Cargas – CDP

Movimentação de Cargas – CDP

AGRONEGÓCIO

AGRONEGÓCIO - Santarém, PA

AGRONEGÓCIO - Avicultura em Processo Integrado

AGRICULTURA FAMILIAR - Hortifruticultura

AGRICULTURA FAMILIAR – Mandioca/Macaxeira

MOVIMENTAÇÃO TURÍSTICA

AEROPORTO - Voos e Passageiros em 2019

EMPREENDEDORISMO

Constituição de Empresas – Santarém, PA

Evolução de Microempreendedor Individual - MEI

Fonte: Prefeitura Municipal de Santarém - Secretária Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Indútria, Comércio e Tecnologia - SEMDEC